Qual a diferença entre EP e Álbum?

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Uma das coisas que eu sempre tive dúvida é a respeito da diferenciação entre EP e Álbum, afinal quando nosso artista favorito anuncia um EP é normal pensarmos que ele está se referindo à um álbum, mas engana-se quem pensa que ambos sejam a mesma coisa. Essa dúvida aacabou despertando em mim após Olivia Rodrigo ter anunciado seu álbum, enquanto Joshua Bassett teria acabado de lançar seu EP: Afinal, qual a diferença? Não é a mesma coisa?  

Tendo isso em vista, hoje decidimos trazer um post explicando para vocês a diferença entre ambos modelos de lançamento de músicas, explicando também por que alguns artistas optam por lançar um EP e não um álbum. Espero que gostem e não se esqueça de nos seguir no Instagram e no Twitter: @dropcultura.

EP e Álbum são a mesma coisa? Qual a diferença?

Antes de tudo, acredito que temos que entender primeiramente do que se trata um single, afinal é em cima dele que iremos definir e distinguir os demais modelos de lançamentos escolhidos pelos artistas. Single talvez seja o modelo mais adotado pelos famosos quando decidem lançar uma música. A nomenclatura musical enquadra como “single” os lançamentos que incluem de 1 à 3 faixas de música, dando a entender que o lançamento não é nem muito grande para ser enquadrado como EP, nem como álbum. Mas vale lembrar que as músicas consideras “single” podem sim ser usadas em um futuro EP ou até mesmo em um futuro álbum, como por exemplo a música mais recente de Olivia Rodrigo, “deja vu”, que se enquadra como um single, mas que fará parte de seu futuro álbum.

EP e Álbum

Agora falando um pouco dos EP, que na verdade é apenas uma abreviação do verdadeiro nome, Extended Play. Bom, a nomenclatura musical entende que um Extended Play (EP) é aquele lançamento que possui entre 4 à 6 faixas de música, chegando a ser um intermediário entre o single e o álbum. Um exemplo bem bacana de se observar é o EP de Joshua Bassett, lançado recentemente, que possui no total 6 faixas de música, sendo elas “Lie Lie Lie”, “Only a Matter of Time”, “Telling Myself”, “Sorry”, “Do it All Again” e “Heaven Is You”. A duração também é um requisito para se qualificar como EP, segundo informações, o tempo total de um EP deve ser de no máximo 30 minutos, no caso do exemplo citado acima, Joshua lançou seu EP com cerca de 18 minutos e 15 segundos. 

Leia Também: Deja Vu de Olivia Rodrigo foi uma resposta para Joshua Bassett?

Com single e EP sendo explicados, fica até fácil imaginar o que seja considerado um álbum, não é mesmo? Bom, conforme a nomenclatura musical, para ser considerado um álbum o artista deve lançar de 7 à 20 faixas de música, algo extremamente superior aos anteriores modelos aqui citados. Como exemplo de um álbum posso citar o mais recente dos Jonas Brothers, denominado “Happiness Begins” que contém no total 14 faixas de música, sem contar também os bônus presentes, como por exemplo versões acústicas de algumas músicas. Vale lembrar também que geralmente a duração total dos álbuns ultrapassam 30 minutos, outro requisito para ser enquadrado no modelo. “Happiness Begins” possui no total 43 minutos e 44 segundos, sem as faixas bônus. 

EP e Álbum

Mas e aí, o que você acha desses requisitos? Você sabia a diferença? Comente logo abaixo e não se esqueça de compartilhar com os amigos! 😀

Deixe um comentário!