Sony planejava reunir Tobey Maguire e Andrew Garfield desde 2014, segundo rumor

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp
Share on telegram

Falar de Aranhaverso nos dias de hoje é inevitável quando o assunto é cultura pop, especialmente falando de filmes de super-herói, Sony, Marvel ou do próprio Homem-Aranha. Embora a Sony Pictures não tenha confirmado que Tobey Maguire e Andrew Garfield voltem aos seus respectivos papéis de Peter Parker/Homem-Aranha em “Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa “, os vários vestígios da presença de ambos é quase que um atestado de que os 2 atores estão no longa.

Tal qual a inserção do Venom em “Homem-Aranha 3”, a história do Aranhaverso parece deslocada da proposta inicial da terceira aventura solo de Tom Holland no MCU, dando a entender que o tal do Aranhaverso deve ocorrer por uma decisão criativa dos mais altos dos cargos da Sony, sem relação com o crivo da Marvel Studios. O tímido multiverso apresentado em WandaVision deixa claro a direção que a empresa por trás do maior Universo Cinematográfico de HQs queria tomar com o tema.

E, para corroborar tudo isso, um suposto e-mail vazado de ninguém menos que a produtora dos filmes do Homem-Aranha na Sony Pictures, Amy Pascal, foi divulgado. O e-mail, de 2015, retrata parte dos planos da Sony com o amigo da vizinhança, com um planejamento básico do futuro do personagem nas telonas nos próximos 5 anos (ou seja, até 2020).

A ideia inicial com o herói era manter o Aranha de Andrew Garfield para um acordo de mais 5 filmes, além de manter Emma Stone para o que viria a se tornar “Venom: Tempo de Carnificina”. Pascal também cita o baixo ganho líquido obtido pela Sony com “O Espetacular Homem-Aranha 2”, citando que o valor de ganho líquido mínimo do próximo filme deveria ser de meio bilhão de dólares.

Além do desejo de uma negociação parcial de merchandising e direitos de animações por parte da Sony, Pascal cita a possibilidade de vender os direitos live-action do herói e fazer uma sequência da história de Andrew Garfield em um longa animado, com o elenco de voz sendo o mais próximo dos filmes. Demais executivos da Sony pareciam mais céticos com a ideia de vender os direitos, preferindo mantê-los.

Pascal também levantou a possibilidade de voltar com o Homem-Aranha de Tobey Maguire para um quarto filme, trazendo também Kirsten Dunst como Mary Jane e tentando convencer Sam Raimi para voltar a dirigir o projeto. Quando Avi Arad vira o tema, Amy relata que acha o produtor essencial para qualquer material do Homem-Aranha.

Ainda sem Kevin Feige na reunião, quando Avi Arad chega, se discute a possibilidade do acordo de 5 filmes com Andrew Garfield, começando por “O Espetacular Homem-Aranha: Sexteto Sinistro – Parte 1” em 2016 e “O Espetacular Homem-Aranha: Sexteto Sinistro – Parte 2” em 2017. Depois disso, a ideia era trazer “O Espetacular Homem-Aranha 4” em 2 partes, uma para 2018 e outra para 2019, além da participação de Garfield em “Venom”, desde a época planejado para 2018.  

Mais curioso ainda, a Sony já planejava um embate entre o Homem-Aranha de Andrew Garfield e Tobey Maguire para o ano de 2021, com um filme chamado “Homem-Aranha vs. O Espetacular Homem-Aranha”.

Já na época, se falava de um reboot do herói para o MCU, com data estimada de 2017 e 2019 para os 2 filmes solo do herói, como foi “Homem-Aranha: De Volta ao Lar” e “Homem-Aranha: Longe de Casa”, embora a Sony cogitasse Dylan O’Brien ao invés de Tom Holland para o papel. 

Já falando de uma aquisição completa dos direitos cinematográficos do herói por parte da Marvel Studios, o valor inicial cogitado pela Sony era de 5 bilhões de dólares, enquanto o da Marvel era de 1.5 bilhão. Feige supostamente apontou o contrato como unilateral, alegando que o valor era alto. Sony baixou a proposta para 3 bilhões enquanto Feige ofertou 2 como valor máximo, executivos da Sony concordaram contanto que a Sony tivesse parcialmente os direitos da franquia. 

O primeiro acordo previa “O Espetacular Homem-Aranha 3” dirigido pelos Irmãos Russo e produzido por Sam Raimi e Avi Arad. A Marvel Studios poderia alterar tudo, com exceção de Andrew Garfield, que permaneceria no papel de Peter Parker/Homem-Aranha. 

Andrew apareceria em “Capitão América: Guerra Civil”, teria suas 2 sequências (e no meio delas, mais 2 aparições no MCU) e para encerrar, a ideia era trazer o encontro de Tobey e Andrew nas telonas em 2020, isso já com Kevin Feige na reunião. Após todos os filmes listados acima, os direitos cinematográficos do Homem-Aranha seriam vendidos para a Marvel Studios por 2 bilhões de dólares.

Como Amy Pascal previa um valor de 2 bilhões de dólares em bilheteria para o encontro de Maguire e Garfield, a ideia era faturar 12 bilhões em um período de 5 anos de acordo com o acordo final apitado por Feige, Pascal e Avi Arad.

Embora nem tudo tenha saído como o esperado, é curioso ver como muitas ideias (como a aparição e reboot do MCU, Venom em 2018 e o Aranhaverso em 2021) se mantiveram ao decorrer dos anos, mesmo com tanta coisa ocorrendo no meio tempo. 

Tanto para os fãs do Homem-Aranha de Tobey Maguire quanto o de Andrew Garfield, alguns projetos descartados parecem um pouco tristes se imaginarmos a grandeza de ver tudo isso no cinema, mas pelo menos teremos uma casquinha para arrancar em “Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa”.

Mas e você, o que achou de todas essas possibilidades? Imaginava que o Aranhaverso já era planejado há tantos anos? Comente!

Leia também: Confira o novo vazamento de Homem-Aranha Sem Volta Para Casa!

Deixe um comentário!